Seu filho não tem deficiência. Por isso ele é o maior agente de inclusão.

Por Carla Beraldo

A maternidade nos traz muitos aprendizados e desafios. Sou mãe de um menino incrível de 2 anos e cinco meses que tem síndrome de Down e nessa caminhada muitas mães têm me perguntado o que ensinar a seus filhos sobre crianças com deficiência.

Eu entendo completamente. E já que a maternidade não vem com um “manual de instruções” deixo aqui dicas de atitudes bem simples que podem contribuir com a formação dos pequenos para um mundo de mais tolerância, amor, aceitação, respeito, equidade etc. e tal, que acha?

Empatia

Todo mundo gosta de ser bem tratado. Encoraje seu filho a dizer olá e a brincar com uma criança em cadeira de rodas, por exemplo. Crianças nos surpreendem e, se perguntarem, não tenha medo de dizer que o coleguinha não anda, mas gosta de brincar junto.

Respeito

Explique para seu filho que cada pessoa é diferente, se expressa de outros modos e que a dificuldade de se expressar não significa dificuldade de compreender. Mostre que cada ser humano tem suas potencialidades e que todo mundo tem suas limitações. Ressalte que deficiência não é doença. Diga a seu filho que aquela criança tem uma outra forma de se comunicar, de andar, de falar etc. De acordo com a teoria de Albert Bandura, as crianças aprendem por imitação, seguindo o modelo dos pais, sobretudo no que se refere a habilidades ou comportamentos sociais.

Atitudes

Inclua personagens com deficiências nos contos, nos desenhos e na rotina da criança. A curiosidade é natural e importante para o desenvolvimento da criança. Deixe que seu filho imagine. Realize jogos e brincadeiras para trabalhar os sentidos. Além de ajudar na cognição, a criança vai entender o que se passa quando não se pode ver ou ouvir, e isso incentiva a empatia.

 

Explique, não complique

Nós adultos pensamos em formas elaboradas de resolver as coisas e acalmar nossas incertezas. Crianças aprendem por modelos e exemplos. Se formos sinceros com nossos filhos e de maneira simples respondermos às dúvidas em relação ao que é diferente, as crianças começam a entender o mundo em sua diversidade com naturalidade.

Torne seu filho um agente de mudança social

Se educarmos as crianças para a diversidade teremos bons cidadãos que veem o ser humano com empatia e amor. Isso é o que queremos para um mundo melhor. Esse é o nosso desafio!

 

Carla Beraldo, é jornalista, mãe de Felipe e trabalha com comunicação. Atuava em redações e grandes agências de comunicação até o nascimento do filho, mas após a maternidade de uma criança com síndrome de Down decidiu repensar a carreira para ter mais flexibilidade e tempo para acompanhar as terapias de estimulação precoce e o desenvolvimento do Lipe. Acredita que o futuro está nas mãos dos pequenos e no respeito às diferenças em todas as suas formas.

 

About the author: Lia Castro

21 commntários to “Seu filho não tem deficiência. Por isso ele é o maior agente de inclusão.”

Você pode deixar seu comentário ou Trackback esse post.

  1. Monica Giacomini - 26 de outubro de 2017 at 19:32 Reply

    Que legal! Parabéns, Carla. Vocês são pessoas especiais!

  2. Dalila Alves - 26 de outubro de 2017 at 19:40 Reply

    Parabéns, Carla! Texto esclarecedor e bem escrito! bjs para você, Felipe e Bruno

  3. Cris - 26 de outubro de 2017 at 19:45 Reply

    Parabéns! Orgulhosa de vc!
    Bjsss

  4. Miguel Viecili Neto - 26 de outubro de 2017 at 19:46 Reply

    Ae Ae Ae Parabéns pra vc e para o Lipe

  5. João Beraldo - 26 de outubro de 2017 at 19:54 Reply

    Excelente! Precisamos trabalhar para vencer os preconceitos e a ignorância.

  6. Sonia Regina Tiano - 26 de outubro de 2017 at 20:02 Reply

    Tenho orgulho de voces serem amigos do meu filho além de padrinhos!!! Pessoas como vocês engrandecem e orgulham nossas vidas e o mundo. Todo esse amor e determinação!!!! Amo e respeito esta família. Que Deus os abençoe sempre!!👏👏💙💙🤝🤝

  7. Leila Argolo - 26 de outubro de 2017 at 21:04 Reply

    Carla querida !
    Vc , o Bruno e o Lipe vão abençoar muitas pessoas .
    Muito bom seu texto , bastante simples e pontuando os gdes valores .
    Pra mim foi muito emocionante .
    Que tal um blog ?

    Bjus com amor
    Leila

  8. Féres Galhardo Tarcha - 26 de outubro de 2017 at 21:12 Reply

    O carinho e dedicação que vocês têm é o maior exemplo. Amo vocês.

  9. Féres Galhardo Tarcha - 26 de outubro de 2017 at 21:12 Reply

    O carinho e dedicação que vocês têm é o maior exemplo. Amo vocês.

  10. Narriman Abreu - 26 de outubro de 2017 at 21:14 Reply

    Parabéns por essa iniciativa. Acredito que podemos sem esforço e sem dificuldades ensinar nossas crianças sobre as diversidades e se tornarem adultos maravilhosos. 👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

  11. Graziela Zorzenon - 26 de outubro de 2017 at 21:38 Reply

    ótimo artigo Carla, trabalho como professora de música e artes e acho a inclusão fundamental para as crianças “normais” venho de uma geração distante da inclusão e não tenhi nenhum amigo sindrome de down, mas as crianças da escola “normal” hoje em dia têm. Estamos longe do ideal, mas ja caminhamos bastante. Força e coragem pra vc e pro Lipe

  12. Angélica Alves - 26 de outubro de 2017 at 22:26 Reply

    Carla,
    Adorei! Parabéns, sucessos, vou acompanhar, VC escreve muito lindo, sobre os pequenos e mães e pais! Show!

  13. Lena Miessva - 27 de outubro de 2017 at 01:05 Reply

    Adorei a estreia. Temos que compartilhar. Colocou link no face?

  14. Helenita Tarcha - 27 de outubro de 2017 at 07:57 Reply

    Parabéns,querida!!!!👏👏❤😍😘
    Mãe maravilhosa!!!💪👊🍀🙇
    Admirável!!!🔝🔝
    Pais zelosos!!!
    Amamos vc ,Bruno e Lipe!!!
    Família eternamente querida!!!❤❤❤

  15. Telma Souza - 27 de outubro de 2017 at 09:24 Reply

    Parabéns Carla !sou babá e me orgulho em poder ajudar aqueles que precisam de uma ajuda maior! ,fui babá de trigêmeos dois deles autista,hoje sou babá de uma criança com uma síndrome rara! Parabéns para vc e todas as mães que lutam, incentivam e amam mais que tudo seus filhos!

  16. Eliane Pasquotte Vieira - 27 de outubro de 2017 at 09:57 Reply

    Amei suas palavras, minha querida Carla. Dois corações cheios de amor como o seu e o do Felipe só podem nos ensinar muito. O amor é o maior exemplo para nossas crianças seguirem. Super beijo 😘

  17. Bruno - 27 de outubro de 2017 at 14:38 Reply

    Que texto lindo e poderoso! Parabéns!

  18. Bianca Duarte - 27 de outubro de 2017 at 21:47 Reply

    Lindo texto Carlinha ! Muito orgulho de você e do Lipe.

  19. Michelly C Silveira Basso - 28 de outubro de 2017 at 00:33 Reply

    Excelente artigo!
    Vivo a experiência pelos dois pontos de vista:
    Nanda, minha filha mais velha, é neurotípica e demonstra a curiosidade natural que toda criança de sua idade tem com relação às outras crianças “diferentes”: ainda sente-se insegura e ansiosa na hora de brincar.
    Davi, meu filho caçula de 3 anos tem apraxia de fala e características do TEA, por isso tem necessidades específicas. Quando trata-se das outras crianças em relação à ele, sinto a mesma insegurança e curiosidade…
    Nós pais somos responsáveis por ensinar nossos filhos sobre como lhe dar com essas “diferenças”.
    Basta um pequeno “empurrãozinho”, porque AMAR É INATO!

  20. Deborah - 28 de outubro de 2017 at 12:38 Reply

    Amei o texto! Parabéns, Carla!
    Muito amor por essa família! ❤️

  21. Carla Beraldo - 6 de novembro de 2017 at 16:22 Reply

    Com certeza, amar é inato e todo ser humano é singular

Deixe seu comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.